Após um longo período de pausa (mais do que efetivamente estava previsto) estamos de regresso à escrita e à partilha 😊

Hoje vamos falar um bocadinho sobre fraldas reutilizáveis versus fraldas descartáveis e as consequências para a pegada ambiental e consequentemente para o futuro do nosso bebé!!

 

 

Existem já vários estudos acerca desta matéria. Cada vez mais a Saúde do nosso Planeta é uma preocupação para todos, devido aos inúmeros excessos do Homem e da evolução brusca que estamos a viver. A azáfama do dia-a-dia, cada vez mais agitado, e a constante corrida contra o tempo levou-nos a pensar e procurar alternativas e soluções rápidas, sem pensarmos nas consequências e repercussões que isso poderia trazer ao mundo e ao futuro dos nossos filhos.

A Fralda é um dos elementos essenciais na vida dos bebés. É também onde os pais gastam a maior parte do orçamento.

Uma fralda descartável pode demorar cerca de 500 anos para se decompor e, em média, cada bebé gasta ao longo dos 2 anos e meio, cerca de 7500 fraldas descartáveis.

Normalmente o consumo das fraldas descartáveis ronda:

6 a 8 por dia

56 por semana

240 por mês

5700 em 2 anos

São cerca de 8 quilos de resíduos por semana que vão diretamente para o lixo, o que significa que até ao fim deste período (aproximadamente 2 anos e meio), um só bebé produz cerca de 1 tonelada de resíduos não recicláveis.

Para compreender melhor as vantagens das fraldas reutilizáveis (tecido), é importante perceber o que é necessário para o fabrico de uma fralda descartável.

Na sua produção são usamos recursos como árvores, petróleo, água e produtos químicos.

O Petróleo é a matéria-prima rica em carbono utilizada para a produção de plásticos como o polietileno e o poliacrilato de sódio que dão origem à fralda descartável.

O polietileno é a camada externa impermeável da fralda descartável, já a camada interna à sua composição é feita por pasta de papel e poliacrilato de sódio – polímero super absorvente mais conhecido por gel ou floc gel.

Para termos a noção, é necessário um copo de óleo de crude para fazer o plástico que compõe a fralda descartável, que se transformará em 130 kg de pasta branca, no mesmo período de um ano, para sustentar um bebé no uso das fraldas descartáveis.

De forma simples, cada troca de fralda descartável consome mais de 75% de energia, se comparada com a fralda reutilizável!!

Isto traduz-se em 3,4 mil milhões de galões de petróleo e mais de 250.000 árvores, anualmente (somente na Europa), para produzi-las. No mundo são utilizados 18 mil milhões de fraldas descartáveis que vão parar às nossas lixeiras sobrelotadas ou em aterros sanitários!!

É,  sem dúvida, muito mais prático termos uma fralda logo à disposição e depois de usada não pensarmos mais nela e descartarmos para o lixo, não fossem as implicações tão nefastas.

Hoje em dia, as próprias fraldas reutilizáveis são mais fáceis de usar do que antigamente. Já não são necessários alfinetes, não é necessário passar ferro e existem agora toalhetes biodegradáveis que se colocam no interior da fralda para reter o cocó do bebé, por isso não significa um acréscimo de trabalho ou de tempo. A própria lavagem faz-se na máquina,  juntamente com a restante roupa.

Se pensarmos em termos financeiros, em 2 anos e meio temos a seguinte relação de gastos:

Fraldas

Descartáveis

Reutilizáveis

Quantidade

7200

30

Valor médio

0,30€

20€

TOTAL

2160€

600€

 

 

Face ao exposto, estamos, sem dúvida, perante um futuro ambiental nada promissor! Compete-nos a nós, enquanto pais, mudar essa situação e deixar de herança aos nossos filhos um exemplo a seguir, e por consequência, um planeta mais saudável. Faça a diferença!! Por si e pelo futuro do seu bebé!!

 

 

Referências (entre muitas outras):

https://sicnoticias.pt/especiais/julho-sem-plastico/2020-07-29-Sabe-quanto-tempo-demora-uma-fralda-descartavel-a-decompor-se-

https://www.ecycle.com.br/3831-fraldas-descartaveis-impactos-alternativas